Dicas para comprar videogames usados online

Alguns anos atrás o único modo de poder trocar de videogame era ir em lojas especializadas (raridade) ou trocar com amigos (segurança total). O mercado dos videogames usados recebeu um grande impulso dos anúncios on-line de de compra e venda no Brasil. A criação da categoria de videogames nos classificados deu a possibilidade de poder trocar o próprio videogame. Com este fenômeno houve come resultado um aumento exponencial do número de novos usuários, porque deu a possibilidade a muita gente de poder comprar um console a baixo custo. Hoje em dia, com internet o mercado principal continua ser os classificados, mas não de jornais tradicionais, mas sim online. A diferença de hoje em relação ao passado, está na facilidade de poder comprar um console de usuários, que se encontram em outra cidade ou até em outro país. Mas a dificuldade se encontra, na impossibilidade de poder testar o console. Aqui vão algumas dicas para você que quer comprar um console usado online:

 

  • Dar preferência aos classificados da tua região. Desta forma vai ser possível testar o videogame e poder também negociar pessoalmente com o vendedor.
  • Se fizer uma compra fora da sua região, entre em contato com o vendedor para verificar os dados técnicos do console e eventual problema.
  • Durante a negociação não mandar dinheiro, money transfer, western union ou outro método de pagamento, onde não é possível verificar os dados do vendedor. Dar preferência ao sistema PayPal.
  • Nunca dar dados pessoais, cartão de crédito ou da conta bancaria.
  • Fazer atenção aos vendedores que oferecem consoles com preço muito abaixo do mercado; poder ser fraude; muita atenção nestes casos!
  • Em classificados não existe garantia. Mas muitos vendedores habituais estão atentos a própria reputação. Compre em sites de classificados onde é possível verificar a reputação dos vendedores!
  • Comprar no exterior é possível encontrar muitas ofertas interessantes. Faça atenção a compatibilidade do console com o sistema Brasileiro, controle o tempo de entrega e custo extras, pesquise a reputação do vendedor!

Créditos: Ana Silva, escritora freelance

Be the first to comment

Comente este Post

%d blogueiros gostam disto: